A arbitragem Egitaniense – Luís Brás

Neste primeiro artigo irei abordar o panorama da arbitragem egitaniense na Federação Portuguesa de Futebol.

A arbitragem egitaniense tem evoluído e naturalmente a sua representatividade a nível nacional tem vindo a aumentar, inclusive tem representantes nos patamares mais altos do futebol, futsal e futebol de praia.

No futebol conta com 2 árbitros assistentes, Paulo Brás e Marco Vieira, na 1ª Liga (AAC1 – Árbitro Assistente Categoria 1). Na 2ª Liga conta com um árbitro, Sérgio Guelho, C2 Elite (Categoria 2 Elite) e um árbitro assistente, Hugo Santos, AAC2 – Árbitro Assistente Categoria 2.

Além disso temos mais 1 representante na categoria 2 (C2), Renato Gonçalves e 3 na categoria C3 Avançado, David Pimenta, Fábio Costa e Fernando Ferreira. Fábio Costa e Fernando Ferreira lutam atualmente para a subida de categoria e David Pimenta luta para a manutenção.

Estes quatro árbitros andam com 8 árbitros assistentes de categoria distrital. A A.F. Guarda conta no futebol com 8 representantes mais os oitos assistentes distritais.

No Futsal conta com um árbitro, Rui Ventura, na 1ª Divisão (C1 – Categoria 1), já na Categoria 2 (C2) conta com 7 árbitros, Bruno Alves, Hugo Geraldes, Manuel Pinto, Óscar Andrade, Pedro Almeida, Pedro Martins e Tiago Cadete, e 2 árbitros da categoria 3 (C3 avançado), André Rebelo e Francisco Simão.

Além disso a A.F. Guarda tem um observador de categoria nacional, António Vicente.

A A.F. Guarda conta no futsal com 11 representantes. No Futebol de Praia conta com um árbitro na categoria mais alta (C1) que é Cláudio Durães.

Feitas as contas, a nível nacional conta com 20 representantes que levam o nome da A.F. Guarda por este nosso país.

A A.F. Guarda consta nos seus quadros de árbitros 74 árbitros de futebol e 33 de futsal. Em termos percentuais cerca de 11% dos árbitros de futebol estão nos quadros da FPF na vertente de futebol e no futsal cerca de 30%.

Em 2020 a arbitragem egitaniense teve a “cereja no topo do bolo” que foi ter um árbitro assistente FIFA sendo histórico nos 80 anos de vida da A.F. Guarda.

Um sinal claro que a arbitragem egitaniense tem trabalhado bem nos últimos anos e existe valores no distrito.

Autor: Luís Brás

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *