Município de Fornos de Algodres mantém orçamento no valor de 6,9 ME para 2020

Crédito: DR

A Câmara Municipal de Fornos de Algodres, presidida por Manuel Fonseca,  aprovou o orçamento para o próximo ano no valor de 6,9 milhões de euros. O documento foi aprovado por maioria na última reunião do executivo de Fornos de Algodres, com os votos contra da vereadora eleita pelo PSD, Joaquina Domingues, e da vereadora do PS, Rita Silva.

Idêntico ao de 2019, o orçamento para 2020 é de 6,9 milhões de euros. Segundo o autarca socialista, este é “um orçamento muito limitado”, tendo em conta que possui uma dívida que ronda os 27 milhões de euros e o encargo anual com o seu pagamento é de 1,1 milhões de euros.
Em relação a “grandes obras” para o próximo ano, o socialista destacou a requalificação da escola do ensino básico de Figueiró da Granja, que tem destinada uma verba de 440 mil euros; 250 mil euros para os transportes escolares e para as refeições dos alunos do concelho. A autarquia incluiu ainda uma verba de cerca de 80 mil euros para o arranque das obras de requalificação do Mercado Municipal e 50 mil euros para o início da construção de uma área de acolhimento empresarial em Juncais.
A autarquia liderada por Manuel Fonseca também vai prosseguir com o programa de Apoio à Ovinicultura e à Bovinicultura, com o objetivo de dinamizar o setor agrícola e pecuário. “Temos também uma preocupação social bastante grande, no sentido de ajudar qualquer pessoa que passe por dificuldades. A Câmara Municipal nunca lhes fecha as portas e vamos tentando resolver essas questões, pois são pessoas que, muitas vezes, não têm dinheiro para recuperar as casas e nós vamos fazendo algumas intervenções”, justificou.

O orçamento “é muito rigoroso”
Manuel Fonseca considera que o orçamento municipal para o próximo ano “é muito rigoroso, tem em conta os custos fixos da Câmara, nomeadamente encargos com pessoal e pagamento da dívida. “O documento privilegia a satisfação das necessidades básicas da população do concelho”, referiu o autarca. “Não é fácil fazer orçamentos enquanto tivermos que satisfazer as necessidades básicas da população e não deixar dívida”, concluiu.
Recorde-se que, de acordo com o Anuário dos Municípios Portugueses, Fornos de Algodres, está em rutura financeira, por o valor da sua dívida ultrapassar em três vezes a média da receita corrente líquida cobrada nos três exercícios anteriores, ocupando o primeiro lugar da lista com uma dívida total em 2018 no valor de 27,7 milhões de euros.
O orçamento para 2020 vai ser discutido na próxima reunião da Assembleia Municipal de Fornos de Algodres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *