“O intercâmbio entre grupos é sempre vantajoso” – Universidade Sénior de Fornos de Algodres

Susana Carrola, Sofia Caetano, Patrícia Almeida e Daniela Antunes, principais promotoras da US neste ano letivo.

Atualmente com cerca de 50 alunos, A Universidade Sénior (US) de Fornos de Algodres tem vindo a registar uma taxa de afluência bastante elevada. Nesta edição falamos com Susana Carrola, Sofia Caetano, Patrícia Almeida e Daniela Antunes, principais promotoras da US neste ano letivo, e ficamos a saber que são as actividades de recreio e laser as que mais seniores atraem.

Tem-se registado um crescimento exponencial no número de alunos da Universidade Sénior (US). Quantos alunos frequentam, actualmente, as atividades?
Os alunos actualmente inscritos são cerca de 50, contudo, nem todos os alunos inscritos participam regularmente nas diversas disciplinas disponíveis, pois existem alunos que apenas participam nas actividades de âmbito cultural e de lazer. Nessas actividades o número de alunos aumenta exponencialmente.

Porque motivo alguns apenas participam nas actividades recreativas e de laser?
Temos alunos que são bastante assíduos nas aulas, e alguns deles até frequentam mais do que uma disciplina, outros, apenas participam nas actividades recreativas e de lazer. As actividades recreativas são muito atractivas do ponto de vista social e cultural, já que são realizadas em espaços diferentes, onde se privilegia a socialização e diversão a par com a aprendizagem de novos conhecimentos do património cultural das localidades. As aulas, em sala, concentram-se na vila de Fornos de Algodres, nas instalações do CAO e Escola do 1º ciclo, e nem todos os alunos interessados têm a disponibilidade de transporte próprio para as frequentar. No entanto, este não é um factor determinante ou único, já que foram realizadas tentativas de descentralizar as disciplinas para outras freguesias, em formato de Workshops, e a adesão não foi a esperada. Este resultado reflecte o interesse da maioria dos alunos em actividades fora da sala de aula. Importa, também, referir que uma parte significativa de alunos nunca frequentou uma sala de aula na sua infância ou apenas manteve um breve contacto com a vida escolar, pelo que a expressão “estamos a aprender até morrer”, com a qual todos concordamos, não tem de ser realizada só e apenas em formato de aula.

Que aulas existem em contexto de sala?
No início de cada ano lectivo é apresentado um conjunto de diversas disciplinas disponíveis, mas nem todas as disciplinas são possíveis de dar continuidade ou de iniciar, já que estas têm de ter interessados e um número mínimo de alunos a frequentar. Neste ano lectivo, as disciplinas frequentadas pelos nossos alunos foram: informática (tutorial); culinária; manualidades; actividade física; pilates e hidroginástica. Estas disciplinas são globalmente realizadas nas instalações do CAO, à excepção da disciplina de manualidades que é praticada na sala de aula da Escola do 1º ciclo da vila.

Ao longo do ano têm realizado diversas saídas/passeios a outros municípios. De que forma se articulam essas saídas?
Este ano, em particular, foram planeados e concretizados alguns passeios a municípios próximos do nosso, com muita adesão por parte dos alunos e de outros seniores que frequentam as respostas sociais da Associação. O primeiro passeio realizado, teve um impacto tal nos participantes que foi impossível não querer planear e organizar outro e outro a seguir, pois no final de cada passeio a pergunta era sempre a mesma “- Quando é o próximo?”. Quando pensamos em realizar este tipo de actividades, temos sempre a preocupação de realizar passeios próximos da nossa região com interesse cultural e paisagístico, facilitar a socialização e partilha com outros grupos seniores e obter um custo acessível para os participantes. Assim, para a organização deste tipo de passeios contamos com o apoio dos municípios locais, que nos disponibilizam guias turísticos para acompanhar as visitas aos principais pontos de interesse cultural da localidade, é realizada uma breve análise de mercado dos restaurantes típicos e com melhor preço, e, onde houver uma Universidade ou Academia Sénior, esta é contactada com a finalidade de ser realizado um intercâmbio sénior.

Quais foram os últimos passeios/atividades realizados?
Os últimos dois passeios de âmbito cultural e de lazer realizados foram a Sernancelhe (março) e Vila Nova de Paiva (maio). Todavia, foram concretizadas outras actividades nestes dois últimos meses, tais como a participação no aniversário da US de Gouveia, que contámos com a participação do grupo de cantares do Rancho Folclórico Sénior de Fornos de Algodres, a participação numa exposição sobre o 25 de Abril na Escola C+S, um convívio de culinária e aprendizagem sobre o tratamento da urtiga para fins gastronómicos, também na Escola C+S e a recepção das Universidades Seniores de Pinhel e de Castro Daire, com as quais já havíamos contatado e visitado.

Receberam recentemente, a 17 de maio, a Universidade Sénior de Castro Daire. Quantos seniores vieram e como se desenrolou a receção?
A última receção que tivemos foi a Academia Sénior de Castro Daire onde contámos com quase 50 visitantes às nossas terras D’Algodres. Os seniores de Castro Daire foram recebidos pela equipa organizadora e por alguns alunos da US local. Os alunos visitantes tiveram a possibilidade de conhecer o Museu do CHIAFA, Igreja, Misericórdia e miradouro de Algodres, na companhia de um guia turístico do município que lhes proporcionou uma visão cultural global do nosso Concelho. Após o almoço, foram visitar o Lagar de Azeite do Cadoiço e aprender mais sobre o famoso “ouro líquido”. A visita foi finalizada com um lanche convívio entre alunos das duas US’s.

Qual a importância deste intercâmbio?
O intercâmbio entre grupos, seja em qual faixa etária for, é sempre vantajoso para os participantes pela experiência da partilha de saberes e história de vida, para conhecer novas pessoas, ter novas experiências, observar e conhecer novos locais e divertirem-se. Na terceira idade torna-se ainda mais importante já que os momentos de contato com pessoas diferentes da mesma faixa etária e que partilham o gosto por Universidades Seniores são menos frequentes, assim como as oportunidades de conhecer novos locais. Nos intercâmbios entre US’s torna-se perceptível que os alunos ficam ainda mais entusiasmados com as suas dinâmicas, através da partilha de experiências vividas e participação ativa dentro das Universidades.

Que papel tem a Universidade Sénior num concelho como Fornos de Algodres e de que forma contribui para um envelhecimento ativo destes seniores?
O envelhecimento ativo é encarado como um estilo de vida que privilegia o bem-estar holístico da pessoa (físico, psicológico, social, económico, cultural, espiritual, cívico). Nesse sentido, a Universidade Sénior tem um papel bastante importante na vida das pessoas que participam regularmente nas actividades e disciplinas. Os alunos que frequentam a US praticam regularmente actividades com foco direto no exercício físico, cognitivo, cultural e social, e indirecto, ou menos percebido pelos próprios, na captação de aptidões ao nível cívico, experiências que proporcionam o bem-estar interior e melhoria da autoconfiança.

No final de junho serão suspensas as actividades da Universidade Sénior até Setembro. Que actividades estão previstas até este período de “férias”?
As Universidades Seniores regulam o seu período de aulas e actividades pelo cronograma escolar, pelo este mês está previsto uma actividade de encerramento do ano lectivo, que com certeza será muito divertido e onde a boa comida e bebida não poderão faltar!

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*