BE preocupado com pedidos de prospeção mineira

A vaga de pedidos de prospeção mineira para os distritos de Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu preocupa o Bloco de Esquerda (BE), que apela à urgência da preservação ambiental

“As distritais do BE de Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu mostram a sua preocupação face a esta vaga de pedidos de prospeção feitos para vários distritos do país. A preservação ambiental é urgente e a extração mineira é de tudo menos sustentável”, refere num comunicado interdistrital o BE.

Na base desta reação conjunta das quatro Comissões Coordenadoras Distritais do BE está a publicação, em Diário da República, ao longo das últimas semanas, de vários avisos da Direção Geral de Energia e Geologia, nomeadamente em áreas que abrangem daqueles distritos. Os bloquistas explicam que a Fortescue Metals Group Exploration requereu a maior parte da atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais, como o lítio, tungsténio, ouro, estanho, entre outros.
“As Comissões Coordenadoras Distritais de Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu do Bloco de Esquerda colocam-se em pé, junto das populações, contra este mega plano de prospeção e extração de minérios nas regiões da Beira Alta, Beira Baixa e Trás-os-Montes”, lê-se no documento. Adiantam que as emissões de partículas em suspensão constituem o poluente de maior relevo, a par do ruído e das escorrências que contaminarão os cursos de água devido à enorme quantidade necessária para a lavagem do próprio minério. “A vida destas populações tornar-se-á um inferno 24 horas por dia, todo o ano, os sistemas ecológicos e os sistemas produtivos locais seriam gravemente afetados pela exploração mineira de grande dimensão”, sustentam.
Segundo o BE, esta realidade é escondida na campanha publicitária para o lítio português, que abasteceria um mercado europeu de baterias para carros elétricos. Mas adiantam que a extração não será só de lítio, mas também de outros minerais mais lucrativos, como o estanho ou o cobre.
“Reconhecemos que o processo ainda está numa fase inicial, mas a oposição a este tipo de exploração também tem que começar cedo”, concluem.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*